Portal de Homeopatia

 

 

 

História e cronologia

 

 

Os primeiros teóricos da produção de alimentos naturais surgem na Inglaterra e na Alemanha, nos anos 20 e 30, quando os danos ao solo causados pela intensificação dos processos de cultivo -- para minimizar a fome no continente na Primeira Guerra (1914-1918) e na Segunda (1939-1945) -- começam a aparecer. Nos anos 90, a globalização intensifica a produção e o comércio internacional de alimentos, resultando em contaminações graves por produtos químicos, bactérias e vírus. A Europa adota uma normatização para orgânicos em 1991 e, na transição para o novo século, Estados Unidos, Brasil e outros países fazem o mesmo.
Veja abaixo os principais marcos do movimento no mundo.

 

Anos 20

1924 - Surge na Alemanha o conceito da agricultura biodinâmica, criado pelo austríaco Rudolf Steiner (1825-1925). Num curso com oito paletras, ele defende que a terra é organismo vivo e seu cultivo sujeito a "forças dinâmicas", não-materiais, que podem ser incrementadas por meio de preparados biodinâmicos

 

Anos 30

O pensador e filósofo japonês Mokiti Okada (1882-1955) desenvolve ao longo da década os conceitos e princípios da Agricultura Natural, que propõe restaurar os mecanismos da natureza, revitalizar os solos por meio de adubos naturais, sem estercos, e garantir a pureza das águas.

 

Anos 40

Nos anos 40 nasce o conceito de agricultura orgânica na Inglaterra, formulado por sir Albert Howard. Nesta década ainda é fundada a The Soil Association, que aprofundaria as pesquisas de materiais e métodos orgânicos pelos 30 anos seguintes.

1940 - Nasce na Grã-Bretanha o conceito de agricultura orgânica, formulado por sir Albert Howard no livro An Agricultural Testament (Um Testamento Agrícola). Ele conclama os ingleses a criar uma agricultura sustentável fertilizando o solo com restos de comida e esgoto urbano.

1942 - O empreendedor e editor americano J.I. Rodale (1898-1971) inicia a publicação da revista Organic Gardening and Farming (Jardinagem e Cultivo Orgânicos - tradução livre), consolidando o termo orgânico. Rodale iniciara anos antes uma fazenda experimental nos Estados Unidos, inspirado nos postulados de Albert Howard. Sua revista é publicada até hoje.

1943 - Inspirada por J.I. Rodale, lady Eve Balfour publica na Inglaterra The Living Soil (O Solo Vivo), defendendo uma agricultura sustentável com métodos orgânicos. A obra torna-se um ponto de aglutinação de idéias e debates que dará origem à The Soil Association (Associação do Solo), principal entidade orgânica do Reino Unido.

1946 - Um grupo de fazendeiros, cientistas e nutricionistas britânicos funda a The Soil Association, que nos trinta anos seguintes aprofunda pesquisas de materiais e métodos orgânicos. Na mesma década, o cultivo de orgânicos começa a ser adotado também por agricultores americanos.

 

Anos 50


Nesta década o movimento orgânico ganha força em países como Suíça e Alemanha. São fundadas entidades como a BioSuisse (Suíça), Bioland Associação Demeter (Alemanha)

1952 - Na Suíça, Hans Müller e a mulher, Maria Müller, criam o conceito de Agricultura Bio-orgânica. Os Müller receberam inicialmente influência da filosofia de Rudolf Steiner e, depois, do médico e microbiologista alemão Hans-Peter Rusch, estudioso dos ciclos biológicos do solo. Seus seguidores darão origem às associações BioSuisse, em seu país, e Bioland, na Alemanha.

1954 - Fundada na Alemanha a Associação Demeter (Demeter-Bund), reunindo produtores de alimentos biodinâmicos. A Demeter define mundialmente os critérios para certificação de biodinâmicos. No Brasil, o selo é concedido pelo Instituto Biodinâmico (IBD).

1958 - Hans-Peter Rusch publica na Alemanha o livro Bodenfruchtbarkeit (Fertilidade do Solo).

 

Anos 60


Em 1960 a The Soil Association abre sua primeira loja de produtos orgânicos no Reino Unido. Na mesma década, o movimento orgânico cresce na Europa e nos Estados Unidos, impulsionado pela contra-cultura.

1961 - Fundada na Alemanha a Fundação Ecologia & Agricultura (SOEL - Stiftung Oekologie & Landbau), principal instituição de pesquisa do país, e a ANOG - Associação para o Cultivo de Frutas, Vegetais e Colheitas Orgânicas (Arbeitsgemeinschaft für naturnahen Obst-, Gemüse- und Feldfruchtanbau), principal do país.

1962 - A bióloga americana Rachel Carson publica Silent Spring (Primavera Silenciosa), estudo com bases científicas e de abrangência mundial. Ela criticava o excessivo consumo de petróleo pela indústria de insumos e alertava para a destruição no meio ambiente provocada por pesticidas, em especial o DDT, levando o Congresso dos Estados Unidos a rever o uso do produto.

 

Anos 70


No início da década é fundada a Federação Internacional dos Movimentos de Agricultura Orgânica (IFOAM), principal instituição mundial na área. Até março de 2002, ela congregava 750 organizações-membros de uma centena de países. Sua acreditação (reconhecimento fiscalizado) torna-se fundamental para exportações.

1971 - O Congresso americano proíbe o uso de DDT nos Estados Unidos.

1972 - É fundada em Versailles, França, a Federação Internacional dos Movimentos de Agricultura Orgânica (IFOAM), principal instituição mundial na área. Sediada na Alemanha desde 1987, a IFOAM congregava, até março de 2002, 750 organizações-membros de uma centena de países. Sua acreditação (reconhecimento fiscalizado) torna-se fundamental para exportações.

1974 - A The Soil Association define padrões para a produção dos alimentos orgânicos, o que dá origem à certificação dos produtos para os consumidores ingleses. A padronização gera aumento de consumo.

1978 - Na Austrália, o biólogo e naturalista Bill Mollison publica o livro Permaculture One (Permacultura Um), lançando as bases de sua proposta: criar sistemas integrados e autosustentáveis, aliando conhecimentos que vão da agricultura e ecologia à arquitetura e gerenciamento de empresas.

 

Anos 80


Nos anos 80, devido a escândalos por contaminação de alimentos, como o mal da vaca louca, epidemia que surge na Grã-Bretanha entre os anos de 1985 e 1986 e que, dez anos mais tarde, resulta no aparecimento de casos de mal de Creutzfeldt-Jakob – a versão humana da doença da vaca louca -, os alimentos orgânicos começam a aparecer nas grandes redes de supermercados da Europa. No final da década, é fundada na Alemanha a Federação para o Cultivo Orgânico, AGÖL, que congrega nove organizações.

1985 - Surgem na Europa redes de supermercados interessadas em vender orgânicos e fazendeiros interessados em converter fazendas convencionais em orgânicas.

1988 - Fundada na Alemanha a Federação para o Cultivo Orgânico, AGÖL (ArbeitsGemeinschaft Ökologischer Landbau). A AGÖL representa 80% dos produtores orgânicos e congrega nove organizações: Demeter, Bioland, Biopark, ANOG, Biokreis, Naturland, Ecovin, Gäa e Ökosiegel.

 

Anos 90


Na década de 90, a produção e o consumo de orgânicos são regulamentados pela legislação de diversos países europeus e nos Estados Unidos. É realizado também um dos maiores encontros ambientalista da história, a Conferência Mundial do Meio Ambiente e Desenvolvimento Humano (ECO92), que reuniu no Rio de Janeiro chefes de Estados de todos os países. Em São Paulo, acontece a 9a Conferência Científica da Federação Internacional dos Movimentos de Agricultura Orgânica (IFOAM).

1990 - O congresso americano aprova a Ata de Produção de Alimentos Orgânicos, iniciando a regulamentação federal do setor.

1991 - Em 24 de junho, a Comunidade Econômica Européia regulamenta a produção e venda de vegetais orgânicos com a medida ECC 2.092/91, feita a partir dos critérios de certificação da The Soil Association.

1992 - Realizado no Rio de Janeiro o encontro ambientalista internacional ECO92, que resulta na Agenda 21, assinada por 178 países que se comprometem a guiar governos e sociedade a promover o desenvolvimento sustentado de ambientes e recursos naturais. Já São Paulo acolhe a 9a Conferência Científica da Federação Internacional dos Movimentos de Agricultura Orgânica (IFOAM).

1999 - A Comunidade Econômica Européia regulamenta a produção de produtos animais orgânicos pela medida ECC 1.804/99, que complementa a medida de 1991.

2000 - Em janeiro, num encontro das Nações Unidas em Montreal, representantes de 130 países assinam o Protocolo de Cartagena. O documento inicia a regulamentação da produção e venda de transgênicos. Os países signatários, incluindo o Brasil, comprometem-se a informar quando o alimento exportado contém transgênicos.

 

fonte: http://www.uol.com.br/claudiacozinha/portal/secoes/organicos/historia.shtml  em 23/04/03

 

vet_e_cao_3.gif (3083 bytes)

construída e administrada por Maria Thereza Cera Galvão do Amaral
Criada em 1999. Revisado: novembro, 2014.

Licença Creative Commons
Portal de Homeopatia de maria thereza do amaral está licenciado com uma Licença
Creative Commons - Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença
em http://www.mthamaral.com.br.